Top Ad unit 728 × 90


Últimas Notícias

DESTAQUES

Escolas de Artes fazem Revolução cultural em Sertânia

120 Crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos aprendem arte num Centro de formação artística.

Aprender uma arte traz muitas vantagens na vida de um ser humano. Desde o desenvolvimento sensorial até a melhora do convívio, proporcionando mais harmonia e melhor comunicação em suas relações, entre muitos outros beneficios. Foi pensando nisto que a Prefeitura de Sertânia , através da Secretaria de Juventude, Esporte, Cultura e Turismo (SEJECT) vem fazendo um belo trabalho através das Escolas de Artes, que juntas formam um espécie de Centro de Formação Artística, instalado no Prédio da Antiga Estação ferroviária, que também sedia a secretaria. A iniciativa vem obtendo aplausos da comunidade e despertando os olhos de admiração da região do sertão.

De acordo com Secretário João Henrique Lúcio, um jovem de 30 anos, que é músico saxofonista e professor universitário, no local funcionam a Escola de Sanfona, a Escola de Teatro, a Escola de Dança, a Escola de Violão, A Escola de bateria e a Escola de Música. Ao todo 120 alunos, entre crianças, adolescentes, jovens , adultos e idosos, assistem aulas teóricas e práticas. “Aqui temos alunos de 8 a 80 anos”, diz entusiasmado João Lúcio. Muitos deles são aproveitados nos grupos que foram criados pela Secretaria , para realizarem apresentações na cidade e outras localidades circunvizinhas, arrancando aplausos por onde passam, projetando o nome de Sertânia lá fora.

Para o escritor Luiz Pinheiro Filho, presidente da ACORDES- Associação Cultural de Sertânia, As escolas de artes de Sertânia estão promovendo uma revolução cultural na cidade, uma vez que ocupam as pessoas de comunidades carentes com arte, melhorando a auto-estima, evitando que sejam alvos fáceis do contato com drogas, desenvolvendo talentos, revelando vocações e formando novos artistas. “ Tudo isto aqui promove inclusão social através da cultura. É Um lazer sadio e significativo para quem frequenta aqui”, define Luiz Pinheiro.

Já para o poeta e compositor Josessandro Andrade, Coordenador da SAPECAS- Sociedade dos Poetas, Escritores, Compositores e Artistas de Sertânia, as Escolas de Arte também promovem o resgate da identidade cultural e artística dos sertanienses como povo. “Aqui tem vasto material sobre a obra de Francisquinho, como grande compositor e maestro que foi, além dos artistas que passaram por suas mãos e a história da Orquestra Marajoara. Ambos são na verdade a gênese de nossa formação musical. Também tem muita coisa de Elisabeth Freire e informalmente de nossos escritores cujo conhecimento de professores aqui é compartilhado com os alunos”. Explica Josessandro.

Escola de Sanfona Lula Sanfoneiro

A Escola de Sanfona

É do povo uma conquista

Nas teclas do acordeon

Se lapida o artista

E os novos sanfoneiros

Fazem da terra viveiros

Prá vida encher nossa vista

A música encanta, transmite confiança e segurança emocional e ajuda a criança e o ser humano em geral a ganhar mais independência em suas atividades
A Escola de Sanfona Lula Sanfoneiro fundada em 2013, possui 30 alunos que assistem as aulas ministradas pelo diretor –professor Lula Sanfoneiro, Luiz Neves, que já foi conhecido também como Lula do Acordeon. Além das aulas, há o grupo de alunos que realiza apresentações, sob a batuta de Luiz. Entre inúmeras apresentações realizadas destacam-se a do Festival de Sanfona Viva Dominguinhos , em Garanhuns-PE, da Caminhada do Forró em Arcoverde -PE, da Semana Estudantil de Artes de Sertânia, do Lançamento do Livro “O Pasmoso e astuto Cão do Piutá”, do escritor sertaniense Marcos Cordeiro. “Recentemente fomos convidados por Joquinha Gonzaga, sobrinho do Rei do Baião Luiz Gonzaga, para tocarmos no Parque Asa Branca, em Exu, no Festival Luiz Gonzaga. Nós íamos, pena que o festival foi cancelado”. Disse Luiz Sanfoneiro.

Um outro grande acontecimento foi a apresentação no Desfile de 7 de setembro de 2015 em Sertânia. “Inovamos o desfile colocando a escola de Sanfona. Foram cerca de trinta sanfoneiros na avenida tocando em harmonia, um espetáculo que encheu os olhos de quem assistiu”, afirma com orgulho João Lúcio, o músico que é o secretário de cultura da cidade. Alguns alunos já rumam à profissionalização. É o caso de Lucas Cordeiro, que já toca em algumas bandas da cidade como Aquarela do Sertão (criada por ele, com nome em homeagem ao seu avô-o poeta e compositor Waldemar Cordeiro) e Forró Pathouly, além de acompanhar o cantor Chico Arruda. Recentemente Lucas foi aprovado para estudar no Conservatório Pernambucano de Música. Outra é Jeisiane Almeida, uma adolescente, que costuma receber convites para apresentações solo em escolas, eventos culturais e arraiais juninos. Há casos especiais que comprovam a valia social da Escola de Sanfona, como os de idosos como o Sr.José Rufino da Silva, de 67 anos , Anos, de meninas como Thainá , de 13 anos e Niel, portador de síndrome de down. “Aqui incluímos e proporcionamos oportunidades a todos”, declarou o Secretário João Lúcio.

Escola de Dança Elisabeth Freire

Elisabete já foi

Mas deixou uma semente

Que aqui é preservada

Com a força da nossa gente

E nesta Escola de dança

Que o jovem e a criança

Vê o mundo diferente

Quando Elisabeth Freire faleceu em 2012 todos pensaram que o seu Grupo de Danças Folclóricas iria acabar. Uma história de mais de 25 anos de trajetória, que colecionara passagens por festivais internacionais de Danças em Passo Fundo – RS, Farroupilha- RS, Olimpia –SP, Teresina –PI e Curitba-PR , (nesta ai apresentando-se na famosa Ópera de Arame)Estaria sendo sepultada? A resposta veio com o tempo, pois em 2013 foi criada a Escola de Dança Elisabete Freire, que hoje conta com 30 alunos, com o objetivo de preservar e difundir o legado de Elisabete e o seu Grupo de Dança. As atividades foram retomadas e foi convidado o coreógrafo Léo para assumir a função de Diretor- Professor. Os alunos tem aulas teóricas e práticas de Danças folclóricas como frevo, coco de roda, ciranda, maracatu, folia de reis, folguedo junino e samba. Parte dos alunos , aqueles que evoluem mais formam o elenco do Grupo de Danças folclóricas Elisabete Freire, que assim teve sequência em sua história.

O Grupo da Escola de Dança vem fazendo bastante sucesso em diversas cidades da região, inclusive em estados vizinhos como Paraíba e Rio Grande do Norte, tendo apresentado-se em Festivais de Passa e Fica- RN e São Gonçalo- RN. Aonde vai, O grupo segue a missão de dona Elisabete Freire, que além de ensinar danças aos meninos das comunidades carentes de Sertânia, abrindo perspectivas de vida para eles através da arte, levava a bandeira sertaniense, divulgando lá fora uma imagem positiva de nossa terra, como cidade de cultura, de alegria e de encanto.

Escola de Teatro Liu Pinheiro

Dona Liu Pinheiro foi

flor da fina caridade

também a inteligência

toda sensiblidade

sendo uma grande chama

e mais a primeira dama

do Teatro da cidade

O Teatro é uma arte em que conhecermos os sentimentos humanos e os vários tipos de personalidades. Através dele também podemos exercitar a capacidade de expressão corporal, De reeducação da voz e da respiração, além de contribuir para superação da timidez e desenvolvimento da oralidade. Consciente disto foi criada em 2013 a Escola Municipal de Teatro, que através inicialmente do diretor teatral Flávio Magalhães e atualmente por meio do Teatrólogo Wilton Augusto, desenvolve um curso de iniciação teatral formando alunos dentro das noções básicas de Artes Cênicas. Além da Encenação em 2013 do Auto do Sertão, Espetáculo de Natal, os atores participam também da Paixão do Sertão e montam um recital-performático sobre Sertânia, encenado na Semana Estudantil de Artes, durante aniversário da cidade. No dia internacional do Teatro foi realizado um seminário sobre a história de teatro sertaniense. Também na Escola Municipal de Teatro surgiu o embrião para o Espetáculo Musical “Cantigas de Sertão para voar”.

Liu Pinheiro, que dá nome a escola, foi atriz e mentora do Grêmio Teatral Arthur Azevedo, precursor do Teatro em Sertânia, nos anos 1940, poetisa e compositora, sendo avò do cantor e compositor André Pinheiro.

Escola de Violão

Dona Socorro Arruda

Esposa de Zé Bernardo

A mãe de Chico Arruda

De João e de Ricardo

Prá Escola de Violão

Outro nome não tem não

Como mãe e vó de Bardo

Quando o Secretário João Lúcio assumiu a SEJECT em 2013 tratou logo de dar um impulso maior a Escola de Violão, pelo fato da mesma ter grande procura. Este impulso vem tendo retorno, pois a mesma, dirigida por Cieldes Brasiliano, vem trazendo Grandes resultados. São 60 alunos aprendendo as técnicas básicas de execução de violão , cavaquinho e contra-baixo. Alguns são selecionados para compor o Grupo da Escola Batizado de “Feijão com Tudo”. O talentoso e carismático Grupo vem crescendo a cada apresentação e inspirando muitos outras crianças , jovens e adultos a procurar a Escola Municipal de Violão, que tem o nome De Dona Socorro Arruda, professora , mãe de Chico Arruda, grande nome da música sertaniense e um exímio violonista.

Além de apresentações em escolas, o Grupo Feijão com tudo, da Escola de violão de Sertânia apresentou-se este ano no Festival de Inverno de Garanhuns-PE, Representando o sertão e divulgando o nome de Sertânia pras seletas plateias de um dos Eventos culturais mais importantes do Nordeste brasileiro.

Escola de Bateria

Coquinho tem história

No universo da magia

Em música e carnaval

Faz seus rastros de alegria

Por isto é o professor

Na Escola de Bateria

Bateria é um instrumento musical dos mais importantes e charmosos. Dá a quem o executa uma incrível noção de ritmo. A Escola Municipal de Bateria tem atualmente dez alunos que recebem aulas de Coquinho, um dos melhores ritmistas da Orquestra Marajoara. Os alunos costumam se apresentar no Grupo Feijão Com tudo e na Banda Municipal Sebas Mariano. “Bateria é um instrumento apaixonante. E as oportunidades no mercado de trabalho são muitas.”, afirma Coquinho.

Escola de Música Demétrio Dias Araujo

Os acordes e compassos

Que bailam na harmonia

Cá na Escola de música

Em sessões de sinfonia

É como se sussurrasse

Que aqui ressuscitasse

Seu Demétrio todo dia

A Escola Municipal de Música Demetrio Dias Araujo, foi criada quando Josessandro Andrade foi Diretor do então Departamento Municipal de Cultura. Na época o mesmo elaborou projeto para o Ministério da Cultura e Sertânia foi contemplada com instrumentos musicais para então reativar a Banda Municipal Sebas Mariano. Um dos primeiros alunos na época foi o hoje secretário João Lúcio.

A Escola Municipal de Música atualmente é coordenada por Terciomar, músico profissional, com vasta experiência em regência de bandas. A mesma tem realizado apresentações em ocasiões solenes e quando convidada nas cidades vizinhas.

Estação Ferroviária

A SEJECT- Secretaria de Juventude, Esporte, Cultura de Sertânia está Sediada no Prédio da Antiga Estação Ferroviária de Sertânia, edificada e inaugurada em 1933. Nela funcionam as Escolas municipais de artes que mostramos nesta reportagem. Ela pertence ao Conjunto arquitetônico da Rede Ferroviária Federal, do qual faz parte também um conglomerado de três galpões, onde num deles funciona o Armazém das Artes, espaço gerido pela Associação dos Artesões de Sertânia, que comercializam ali peças e obras de artes. Em reportagem do Jornal do Commercio, Sertânia foi apontada Com uma das cidades que melhor aproveita o Patrimônio da rede ferroviária, apesar de no ano de 2001 ter sido construído uma Escola Municipal e em 2007 uma praça de alimentação, em locais que acabaram por descaracterizar o Conjunto arquitetônico da Rede Ferroviária.

Entusiasmado com a repercussão e os resultados do trabalho, o secretário João Lúcio vibra com o engajamento e o protagonismo dos jovens e adolescentes em muitas destas atividades. “Quando assumimos em 2013, encontramos a Casa da Juventude fechada e não havia condição de funcionamento. Então aos poucos, com as condições que tínhamos, fomos formando, com criatividade, o nosso Centro Jovem aqui na Secretaria de Cultura, onde os jovens e adolescentes tem lazer sadio, ficam longe dos vícios e de más influências, aprendem uma arte e tomam um banho de cultura, conhecem a história e os artistas da cidade e tem oportunidade prá seu futuro podendo desenvolver uma profissão com mão-de-obra qualificada prá o mercado de trabalho”, destaca João Lúcio. “ Ao divulgarem o nome de Sertânia lá fora a auto-estima deles Vai lá prá cima , assim como a da própria população da cidade. No final, todo mundo ganha”, enumera Lúcio.

Para o prefeito de Sertânia Guga Lins, Dar oportunidades de arte e cultura para as pessoas em geral tem sido um compromisso de sua gestão. “Apesar da escassez de recursos, Procurarmos fazer a nossa parte. Nosso Secretário João Lúcio com sua equipe, junto aos artistas e amigos da Cultura também tem contribuído muito com os esforços e projetos.”, finalizou o prefeito. A Secretaria de Cultura de Sertânia recebeu o prêmio Destaque Regional pela sua atuação no campo cultural. Coincidência ou não Sertânia é o município com menor índice de homicídios da região.

OS NÚMEROS

DADOS GERAIS

03 Escolas de artes foram criadas (Sanfona, Dança e Teatro) em 2013

03 Escolas foram mantidas e incrementadas ( Violão, Música e Bateria)

PRÊMIOS

Prêmio Destaque Gestão de Cultura

Trofeu V Festival de Cultura Passa e fica –RN

Trofeu I Festival do Folclore de São Gonçalo do Amarante -RN

PARTICIPAÇÕES

Festival de Inverno de Garanhuns –PE

Festival Viva Dominguinhos – Garanhuns-PE

IV Caminhada do Forró – Arcoverde-PE

25ª Semana Estudantil de Artes de Sertânia-PE

26ª Semana Estudantil de Artes de Sertânia-PE

* Os versos que ilustram esta reportagem são de autoria do Poeta Josessandro Andrade (Sertânia-PE).








Escolas de Artes fazem Revolução cultural em Sertânia Reviewed by OPIPOCO MONTEIRO on sábado, novembro 21, 2015 Rating: 5

Nenhum comentário:

Todos os Direitos Reservados O Pipoco © 2010 - 2015
Powered By xHtml5 and BootStrap 3, Customizado e Otimizado por Siguemir R. Bezerra

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.